Enfrentar as desigualdades para vencer a pobreza

Blog



Cinco coisas que alguém que trabalha com ajuda humanitária gostaria de te contar

Tempo de leitura: 3 minutos

Iffat Tahmid Fatema começou a trabalhar na Oxfam em 2017 quando tentava o mestrado biotecnologia na Universidade Asiática para Mulheres em Chittagong, Bangladesh. Na mesma época acontecia o auge da crise humanitária dos refugiados rohingya, que vivem no maior campo de refugiados do mundo, o Cox’s Bazar, em Bangladesh. A situação tocou Iffat, que começou a atuar no local como funcionária de saúde pública na resposta humanitária da Oxfam com prevenção de doenças. A equipe da Oxfam já alcançou mais de 266.000 pessoas nos campos até agora.

Veja 5 coisas que Iffat gostaria de compartilhar sobre seu trabalho:

A ajuda humanitária é uma forma de assistir populações em situação de risco. Conheça em nosso post 5 cuidados da voluntária Iffat para atender esses povos.

1. Saiba o que te motiva
Neste trabalho você precisa dirigir, ter boas habilidades de comunicação e iniciativa.
Quando está muito calor ou chove muito, ou quando você está cansado, pode não sentir vontade de passar outro dia longo nos campos. Mas então você pensa nos refugiados e como você está trabalhando por eles e isso te motiva a continuar.

A ajuda humanitária é uma forma de assistir populações em situação de risco. Conheça em nosso post 5 cuidados da voluntária Iffat para atender esses povos.

2. Você tem que construir confiança
O trabalho humanitário também é sobre construir confiança. Você tem que ser sensível à cultura e tradições locais.
Você também tem que ser capaz de conversar com diferentes grupos de pessoas de diferentes formas, desde crianças até pessoas idosas e líderes religiosos. E você precisa ser um bom observador para poder entender como as pessoas pensam.

Iffat conversa com locais durante suas visitas como voluntária da Oxfam.

3. Fale sua língua
Às vezes, os refugiados podem se sentir desconfortáveis com alguém que não é como eles, então ajuda poder falar uma língua semelhante. Mas a língua também é o maior desafio, pois a língua regional, chittagoniana, não é falada por 30% dos rohingya.

A Oxfam trabalhou com a Translators Against Borders para desenvolver um novo aplicativo de tradução em inglês, bangla e rohingya, incluindo vocabulário específico sobre saúde e higiene, então isso será de grande ajuda.

A ajuda humanitária é uma forma de assistir populações em situação de risco. Conheça em nosso post 5 cuidados da voluntária Iffat para atender esses povos.

4. Esteja preparado para enfrentar desafios
Trabalhar nas monções tem sido extremamente difícil e pode ser perigoso. Quando há uma forte chuva torrencial, as condições nos campos se tornam muito ruins, muito rapidamente. Você pode afundar na lama e perder suas botas (risco de contanimação). Quando você sobe os morros de terra, existe a possibilidade de a coisa toda entrar em colapso.

5. Paciência é uma virtude
A coisa mais importante que aprendi é ser educada e ser paciente – mesmo que eu esteja repetindo a mesma coisa centenas de vezes, como lavar as mãos. Sou muito impaciente por natureza, mas trabalhando nos campos aprendi a controlar minhas frustrações.

A parte mais satisfatória do meu trabalho tem sido ouvir dos refugiados a diferença que o apoio da Oxfam fez para eles.
Nós organizamos grupos de escuta regulares onde a comunidade pode nos dar um feedback construtivo. Recentemente, um avô me disse: “Estamos felizes por você vir e nos ouvir. Obrigado pelo trabalho que faz.” Isso me fez sentir muito feliz.

Saiba mais sobre a resposta humanitária da Oxfam nesse vídeo:

Categoria:

Ajuda Humanitária

Cadastre-se
Receba nossa newsletter
 


Deixe um comentário