Enfrentar as desigualdades para vencer a pobreza

Dia Internacional da Mulher: nossa contribuição pelo mundo

Tempo de leitura: 3 minutos

Cinco histórias revelam como a Oxfam trabalha pela valorização das mulheres

07/03/2019
 

Cinco histórias revelam como a Oxfam trabalha pela valorização das mulheres

Nós acreditamos no potencial das mulheres e estamos sempre prontos a contribuir com projetos e atividades que reforcem o papel feminino na sociedade. Por isso desenvolvemos no Brasil e no mundo projetos de formaçao e autonomia financeira, além de encontros e oficinas, que contribuem para o empoderamento das mulheres, valorizando e fortalecendo sua luta contra o machismo, a violência doméstica, a desigualdade de renda no trabalho.

Neste Dia Internacional da Mulher – 2019, reunimos algumas histórias de nossa atuação pelo mundo que ajudam a colocar as mulheres em seu devido lugar: como protagonistas de sua própria vida e de suas comunidades!

HOURIYA CHAIEB – TUNÍSIA

Houriya tem 20 anos e vive com seus pais e irmão em uma fazenda nos arredores da cidade de Jebiniana, na Tunísia. Ela participou do programa de Emprego e Participação para a Juventude da Oxfam, e nele aprendeu panificação e pensa agora em montar seu próprio negócio. “Muitas meninas nascem, vão à escola por algum tempo, se casam e a maioria delas fica em casa. Não quero essa vida. Se você tem seu próprio negócio, você tem mais oportunidades.”

MARIA DA GRAÇA AMORIM – BRASIL

Agricultora familiar de Alcântara, no Maranhã, Maria da Graça é integrante da Coordenação Nacional de Mulheres da Confederação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Contraf). Ela participou da oficina organizada pela Oxfam Brasil em São Paulo com 15 mulheres de comunidades rurais, movimentos do campo, agriculturas, quilombolas, lideranças de povos indígenas e comunidades tradicionais, de diversas regiões do país para debater a desigualdade no campo. “Para nós, mulheres, o direito à terra é um direito sagrado. Temos uma relação muito forte com isso, porque é uma relação de troca.”

KARLA PATRICIA GUTIÉRREZ – EL SALVADOR

Karla é funcionária da Oxfam em um projeto que, em parceria com outras organizações de El Salvador, trabalha para reduzir a violência contra mulheres e meninas no país. “Sinto-me feliz, motivada, e empoderada para fazer esse trabalho, mas é sempre uma luta. Temos níveis altos de feminicídios no país. As meninas agora reconhecem quando estão prestes a sofrer assédio ou violência, elas nos contam e nós denunciamos.”

DOLLY KUMAR – CANADÁ

Dolly, de 14 anos, aprendeu kick-boxing e sobre os direitos das meninas em reuniões de um projeto da Oxfam em seu país. “Eu sonho com um mundo onde garotas tenham os mesmos direitos que os garotos. As meninas não devem ficar confinadas em quatro paredes. Elas precisam sair, estudar e perseguir seus sonhos.”

ADDISE – ETIÓPIA

Addise participa de um projeto desenvolvido pela Oxfam que está formando sua comunidade para a produção, distribuição e venda de mel. A abordagem da Oxfam ao implementar este projeto inclui a produção moderna de colmeias, treinamento de habilidades básicas em apicultura moderna, além de alfabetização funcional integrada de adultos, em que as mulheres aprendem também sobre saúde reprodutiva, leitura e escrita. “Fazer parte desse treinamento e me ver entrando na sala de treinamento e falando em público foi o dia mais emocionante e inesquecível da minha vida. Parecia que eu estava na escola novamente e eu tinha começado um novo capítulo na minha vida.”

Notícias Relacionadas:
imagem do banner
Cadastre-se
Receba nossa newsletter