Enfrentar as desigualdades para vencer a pobreza

Fairtrade elogia campanha da Oxfam que pede mais dignidade para trabalhadores rurais

Certificadora parabeniza Oxfam por campanhas que convida todos os envolvidos a agir para combater as desigualdades e os abusos.

16/10/2019 Tempo de leitura: 2 minutos
 

Desde o último dia 10 de outubro, estamos com campanhas no Brasil e em outros países para mostrar a situação de trabalhadores de cadeias de fornecedores de grandes supermercados. No Brasil, o relatório Frutas Doces, Vidas Amargas mostra que muitos trabalhadores da cadeia de frutas do Rio Grande do Norte e Vale do São Francisco não têm renda suficiente para garantir uma vida digna, deixando-os entre os 20% mais pobres do país. Globalmente, a Oxfam também lançou estudos sobre os problemas existentes na produção de chá na Índia e na de batata doce produzida nos Estados Unidos.

As campanhas foram elogiadas nesta quarta-feira (16/10), Dia Mundial da Alimentação, pela importante certificadora Fairtrade Foundation, por meio de uma nota publicada na Inglaterra:

“A Fairtrade Foundation congratula o relatório da Oxfam, que convida todos os envolvidos a agir para combater as desigualdades e os abusos muito comuns que muitos agricultores e trabalhadores nos países em desenvolvimento enfrentam.”

Trecho do comunicado da FairTrade Foundation.

Tanto o relatório brasileiro como os outros materiais lançados pela Oxfam globalmente pedem às grandes redes de supermercados – no Brasil Carrefour, Pão de Açúcar e grupo Big (ex-Walmart) – que melhorem sua diligência devida nas cadeias de fornecimento, aumentando a transparência sobre essas cadeias e investindo em engajamentos com atores locais, como os sindicatos de trabalhadores rurais.

Nosso relatório Frutas Doces, Vidas Amargas mostra que a cadeia de frutas enfrenta problemas estruturais, como a baixa renda anual dos trabalhadores safristas, que os deixa em situação de pobreza, além de problemas pontuais que persistem, como más condições de trabalho.

Veja o relato de alguns trabalhadores:

Vídeo da campanha “Frutas Doces, Vidas Amargas”, da Oxfam Brasil.

Juntos podemos mostrar para os supermercados que eles precisam fazer mais.

Assine a petição e faça sua voz ser ouvida.

A FairTrade apoia esta abordagem da Oxfam na busca por melhores compromissos e práticas do supermercados:

“Apoiamos as principais recomendações da Oxfam aos supermercados para fortalecer a devida diligencia em direitos humanos, tomar ações específicas sobre riscos em direitos humanos e investir em ações sociais positivas. A escala do desafio é tão grande que, para alcançar a mudança necessária, será necessária uma mudança gradual nos preços pagos no nível da fazenda e um novo compromisso para combater os abusos dos direitos humanos.”

Trecho do comunicado da FairTrade Foundation.

Nossa campanha aborda a questão do salário digno, seguindo metodologia proposta pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). De acordo com nossos calculos, o valor pago em média para trabalhadores da uva, da manga e do melão estaria 44% abaixo do ideal. Ainda nas palavras da FairTrade: “O relatório da Oxfam mostra que, apesar das melhorias de todos os varejistas e outros envolvidos, muito mais precisa ser feito para garantir que alguns dos trabalhadores mais pobres da base de nossas cadeias de suprimentos obtenham um acordo melhor e mais justo.”

Um esforço coletivo é necessário e por isso os supermercados devem fazer sua parte e abrirem um diálogo construtivo sobre essas cadeias produtivas. Importantes organizações e especialistas estão se manifestando e apoaindo a campanha da Oxfam Brasil. Mas ainda não escutamos do Carrefour, do Pão de Açúcar e do Grupo Big que ações eles vão tomar.

Notícias Relacionadas:
imagem do banner
Cadastre-se
Receba nossa newsletter