Enfrentar as desigualdades para vencer a pobreza

 

Por trás do preço

Por Trás da comida que compramos estão milhares de pessoas que trabalham no seu cultivo, colheita e processamento. A comida segue então pelas cadeias de fornecimento até os supermercados onde nós a compramos e lavamos para nossas casas. Mas, enquanto essas cadeias de fornecimento geram trilhões de dólares em riqueza, os homens e mulheres que trabalham no campo ou são pequenos agricultores sofrem com condições degradantes e injustiças. Muitos não conseguem dar uma vida de qualidade para sua família e, muitas vezes, não têm nem o que comer. O sofrimento humano nunca deveria ser um ingrediente da nossa comida.

Nos ajude a desafiar quem tem mais poder no sistema alimentar e contribuir para que pequenos produtores, agricultores familiares e trabalhadores rurais sejam tratados e remunerados de maneira mais justa.  Os supermercados podem alterar e melhorar seus modelos de fornecimento para compartilhar mais poder e garantir melhor renda e salário para agricultores e trabalhadores rurais.

Juntos podemos fazer a diferença!

Frutas doces, vidas amargas

Milhares de pessoas que plantam e colhem frutas no Brasil não conseguem ter uma vida digna, devido a baixos salários, empregos temporários e altos riscos de contaminação por agrotóxicos. Investigamos alguns casos no Nordeste e o resultado é este relatório, pedindo aos grandes supermercados brasileiros que pressionem seus fornecedores para garantirem frutas sem sofrimento humano. 

Hora de mudar

Os grandes supermercados do mundo estão lucrando bilhões ano após ano a um custo muito alto: péssimas condições de trabalho, pobreza e sofrimento para milhões de homens e mulheres trabalhadoras e agricultores em diversas partes do planeta. A situação é tão desesperadora que muitos dos que produzem nossos alimentos mal têm o que comer. Está mais do que na hora de mudar essa realidade.

imagem do banner
Veja Também:
Cadastre-se
Receba nossa newsletter
 

A Oxfam Brasil utiliza cookies para melhorar a sua experiência

Ao continuar navegando na nossa página, você autoriza o uso de cookies pelo site.